terça-feira, 22 de julho de 2014

Comentários de crianças e saia justa dos adultos

Em meados dos anos 80, uma família - um casal e seus dois filhos pequenos, uma menina e um menino - todos os meses saía de carro de Maceió para passar um fim de semana em Arapiraca. Costumavam sair de Maceió na sexta-feira, por volta das 15 horas, chegando em Arapiraca às 16 horas e 30 minutos, e retornavam no domingo pela manhã.
Num daqueles fins de semana, o marido havia oferecido carona a uma conhecida para retornar a Maceió. A esposa não se mostrou favorável à ideia:
- Puxa, mas ela também vai com a gente? - reclamou a esposa.
- Vai, eu já ofereci e ela confirmou. Mas qual o problema? Só iríamos nós quatro mesmo, então temos uma vaga sobrando no carro! - explicou o marido.
- É que assim os nossos filhos irão viajar com menos conforto. Havendo um espaço livre eles poderiam deitar, por exemplo. Mas, com o assento ocupado, eles terão que viajar sentados durante todo o trajeto!
O marido continuou insistindo e explicando que isso não seria um problema para as crianças, já que era uma viagem curta e, além disso, ele já havia confirmado para a moça que ela poderia ir com eles. Assim, chegou a hora da viagem e todos embarcaram no carro, rumo a Maceió.
Foi aí que, durante o percurso, aconteceu um imprevisto: o marido, que dirigia, sentiu que a direção ficou muito pesada de repente e eles tiveram que parar para ver o que havia ocorrido com o carro. Então verificaram que o pneu havia furado e estava totalmente vazio, necessitando de uma troca imediatamente.
Nesse momento, para surpresa de todos, a moça que os acompanhava de carona não só foi altamente prestativa como praticamente executou toda a troca dos pneus. Em menos de 15 minutos, o problema já estava resolvido e o carro pronto para prosseguir a viagem.
A menina, que era a mais nova, havia observado atentamente toda a cena e ficou impressionada com o ocorrido. Daí, antes de retornar para o carro, falou para a mãe, em alto e bom som:
- Tá vendo, mãe? E a senhora nem queria que ela tivesse vindo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário